terça-feira, agosto 09, 2005

Coisa Bonita!


"Já no passado os mestres da arte diante da formosura
Não dispensavam o charme de uma gordinha em sua pintura
Gosto de me encostar nesse seu decote quando te abraço
De ter onde pegar nessa maciez enquanto te amasso
Eu não sou massagista e não entendo nada de estética
Mas a nossa ginástica é mais gostosa e menos atlética
Coisa bonita, coisa gostosa,
Quem foi que disse que tem que ser magra pra ser formosa? "
.............
Não sei quanto Eva pesava, nem se ela aceitou a maçã porque estava de dieta, sei apenas que era mulher e certamente concordaria comigo: ô musiquinha brega! Mas coisa boa é saber que a largura da nossa cintura não esconde a formosura!

Dia desses, ao visitar virtualmente um amigo, li uma referência feita por ele a uma amiga que havia falecido. Fiquei chocada! A princípio, porque a morte deixa sempre como troco a ausência sofrida e depois, por reconhecer como vítima a menina que eu facilmente via em suas fotos, com sorriso e formas fartos, além de uma cabeleira longa e loura... nós, morenas, sabemos a cor que primeiro reluz no meio da multidão...

Redução de estômago mal sucedida... Fiquei sabendo logo depois. Como disfarçam a realidade dos sentimentos, as fotos, pensei! Por certo, lamentaria o Roberto, como eu...

Aí, alguém credita ao destino, ou a hora que estava por ser... Alguns enumeram casos vitoriosos, outros somam mais fracassos... e se ainda um lembrar, culpa o Narciso.

Me vêm agora os almoços com o pessoal do trabalho, geralmente em restaurante à kilo, é um convite às tentações dos pratos e aos comentários sádicos da mulherada rendida a exaltação do corpo. Tem sempre aquela que come feito pinto, tem barriga sarada e fica o tempo todo falando que está comendo muito, que tem que diminuir a alface... Ou aquelas que pra cada porção tem uma dieta perfeita!... Pelamordedeus! Nunca diminuí as minhas colheradas ou desisti da lasanha por causa disso, mas dando à César o que lhe cabe, na saída as proporções por baixo das blusas são bem diferentes!

Não sou adepta do "Bom é o que balança"... Mais por questões de saúde do que estéticas. É ruim conviver com cansaço ofegante, sobras por cima da roupa e depressões diante do espelho... A beleza está mais no que sai da boca do que no batom que a pinta.

É verdade que nem sempre a relação gordo e magro resulta em graça e me traio por muitas vezes com minhas inseguranças... Descobri que sempre que me imagino alcançando sucesso no amor e no trabalho estou magra. Ou nas ruas do meu inconsciente não existe o carrasco medidor de peso ou estou por demais contaminada pelo vírus da vaidade.

Outro dia, uma colega depois de se intitular a rainha dos cremes (um para o peito, outro para a parte de fora das pernas, outra para a de dentro, para os braços, para a barriga, para a bunda... ufa!) me fez pensar sobre a solidão que eu impunha ao meu único hidratante... é, nem tão contaminada assim...

Um comentário:

Mary disse...

Essa música é breeeega mesmo! :P

Eu tô precisando fazer uma dieta =/
O que será de mim sem chocolate?!
Eu gosto de comer... rsrs.. Isso atrapalha minha vida... :D

Preciso usar cremes tb... Não uso nada...
Vixe, sou tão relaxada p/essas coisas :P

É complicado!

Adorei a foto, Patita!

Beijoss :***