terça-feira, outubro 11, 2005

a do bar...

ainda bem que aqui só tem mulher feia e viado...

sem perguntas, sem respostas...

quem quer saber se esse traste é meu pai, tio, caso ou cafetão?

filha...sou uma filha da puta mesmo!

eu disse que não aceitaria nada dele dessa vez e estou aqui, novamente rendida aos caprichos
dessa barriga cheia de banha...nem o pau é grande!

não preciso... não preciso disso!

isso é Amor?!

essa falsa sensação de companhia?

de estabilidade?

não preciso dele nem pra voltar pra casa!

aaaaaaaahhhhh... mas quero!

quero com tanta força que nada mais importa...

aqui, enquanto os filhos dele estão lá com a mamãezinha gorda, fedorenta, esperando com uma pizza na mesa...

fodam-se todos!

ele me ligou, ele me quer... já me comeu e ainda está aqui, me trouxe aqui...

e se eu acabasse com tudo? de vez... definitivo!

– ei, vou ali trepar com aquele barbudo que está me secando!

Não... nem vou mais olhar...

– paizinho, quero uma água com gás!

porra, faltei a faculdade...vou acabar perdendo a merda da matéria... por mim, é ele que paga! acho que vou perder uma todo semestre...

otária! vê se cresce!!!!

- tô adorando, meu Amor! não, não quero dançar!

será que minha mãe ainda está acordada? não passei o blazer...estágio de escravidão do caralho! homens da lei... colegas, sei! eu que abra as pernas!

e quando a Marília souber que eu dei de novo?

Nunca mais vai me socorrer de madrugada bêbada, rouca de tanto chorar:

- Aquele viado vai pra Barretos, Mary! - Com a porra da família dele! - Tomara que um touro enfie o chifre no cú dele, tomaaara!!!

não acredito que aquele cara vai ficar com aquela baranga!

aposto que é viado! será que se eu não tivesse aqui ele comeria o André?!

ai, meu Deus! tô enlouquecendo... tem exorcismo pra tirar putaria da cabeça? Se bem que o padre da igreja da minha avó é "comível" até a batina.

-Amorzinho, olhe a hora! Não, estou pensando em você... você sabe, não quero que tenha problemas quando chegar em casa (só que ela jogue água quente em seu ouvido!) - eu também... muito!

....

barbudo gostoso, qualquer dia volto aqui!

...


E eu, Patricia, me aproveitando do texto do Orfeu, amigo do Léo e tudo aquilo que ele disse lá embaixo...

2 comentários:

Rafa Kafka disse...

Genial Paty, é dureza compreender as relações humanas, fogo mesmo, eu já desisti rs

Mary disse...

Ótima pegada no barbudo do texto, digo, do texto do barbudo... rs :P

Gostei!

:**