domingo, outubro 16, 2005

Sangue no Jornal, bandeiras na avenida "ZIL"*.

Hoje é domingo. É dia de acordar mais tarde e ficar sem fazer nada. Hoje é dia de escrever aqui no Expressões Digitais. Bom, pode não ser dia de escrever, mas no meu caso, é dia para postar. Por acaso hoje é domingo e pela primeira vez estou escrevendo no mesmo dia em que coloco o texto aqui.

Têm sido dias difíceis. Muito trabalho, pouco tempo, e uma estranheza absolutamente diferente pairando no ar. Parece que as coisas estão acontecendo e eu não estou participando. Sinto-me como em outro local. Tudo acontece e eu não vejo ou fico sabendo. Mas dane-se: hoje é domingo. Dia de alegria, de circo e de ver gente que há tempos não vemos.

Para mim domingo é dia de molho. Foi o dia que eu escolhi para ver televisão e todos esses seriados bobos americanos que me fazem sorrir. Domingo é dia que todo mundo sai de casa e eu fico sozinho. É bom uma vez por semana ter a casa só para mim, porque sou o tipo de gente que gosta de ficar sozinho em casa. O silêncio e a tranqüilidade me alegram.

Mas hoje foi o domingo em que todos resolveram ficar em casa. Então meu dia de fazer-o-que-eu-quero não existiu. Ainda bem que trabalho viajando e volta e meia encontro-me absolutamente sozinho por semanas ou meses. Tá certo que só é bom ficar sozinho por horas ou dias. Depois você quer ver os seus.

Mas hoje é domingo, dia de ir a praia e de comer caranguejo. Mas eu não como caranguejo porque dá muito trabalho. Tem que bater, quebrar a casca e se melar todo “chupando” as patas dele. É muito trabalho por pouca carne. Prefiro comer o caranguejo catado, assim não fico todo sujo nem fedendo a marisco.

Hoje também é dia de ir em casa de amigos e vê-los, porque todo mundo trabalha e não sobra muito tempo para os amigos. Mas eu escolhi ficar em casa, então passam as semanas, meses e anos até que eu veja meus amigos. Mas os amigos de verdade eu tento ver sempre. Só que a minha preguiça tem me feito perder momentos importantes. Porque a vida não para, esperando nossa preguiça passar. Em nossa única vida temos duas escolhas: viver ou deixar passar. Eu tenho deixado passar, porque ficar deitado no sofá vendo besteira o dia todo tem sido mais interessante que sair e ver o mundo.

E como eu falei, hoje é domingo. Hoje começou o horário de verão, uma das coisas que eu mais gostava em Salvador. Agora tiraram o horário de verão da Bahia e até o verão perdeu a graça. E odeio quem acha que dorme uma hora a menos no horário de verão, já que a mudança do relógio é como mudar de país com fuso diferente ou morar em Manaus: nesses lugares a hora é diferente e a gente sempre se acostuma. Eu conheci uma pessoa que odiava o horário de verão porque “era pecado mudar a hora de Deus”. Acho que esqueceram de falar para ela que quem inventou o conceito de hora foi o homem. Deus se preocupou apenas em dia e noite. Mas o homem, com mania de medir tudo, foi lá e criou a hora.

Mas eu ando com tanto tempo faltando, que só soube que o horário de verão começaria hoje, hoje de manhã, quando perdi uma das minhas séries favoritas. Porque eu acordei na hora da Bahia, mas o programa passa na hora de Brasília.

Por hora vou ficando por aqui. Semana que vem escrevo direto de Fortaleza – a terra do Sol.

* Gente, pesquisei na Internet e encontrei duas grafias para essa avenida Zil. Alguém sabe se é SIL ou ZIL?

3 comentários:

Múcio Góes disse...

Grande Vini! Detesto comer carangueijo, apesar de que, sem o movimento das mãos não teria trabalho, mas, prefiro o pirão. Horário de verão é um saco, já que em Maceio nao temos, mas, a Globo nos empurra goela abaixo.

Belo texto de domingo!

[]'s

Anônimo disse...

What a great site » »

Anônimo disse...

Looking for information and found it at this great site... » »