domingo, fevereiro 05, 2006

Dor de cotovelo? Tem que ter música

Eu não conheço qualquer pessoa que não goste de pelo menos uma música. Aliás, a única pessoa que eu conheço que gosta de uma única música é meu tio Mário, que gosta apenas do “passo de elefantinho”. Mas no geral todas as pessoas gostam de música. Umas gostam mais, outras nem tanto. E a música tem um poder sobre as pessoas: assim como os cheiros, ela é capaz de nos levar para momentos, reviver emoções e sensações que ficaram no passado. Tem coisa mais gostosa do que ouvir aquela música dos anos 80 que a gente cantava quando era criança? Tipo “quem quer pão” da Xuxa sempre me faz lembrar do meu café da manhã precedido pelos Smurffs. Ainda sinto o cheiro de pão quente e achocolatado ou suco de laranja que eu gostava de beber todas as manhãs.

Ou ainda a música “Melô do Marinheiro” da época do Sarney, que eu cantava que Brasil levava um tombo e meu tio Roberto ria, me corrigindo...

Mas uma coisa é certa: nenhum estilo ou ritmo musical nos marca mais que as músicas tristes. As músicas que falam de dor de cotovelo, de perda, de amores perdidos e que tais são as músicas que mais nos marcam e nos fazem lembrar de momentos nem sempre bons. Mas a vida também é feita de lembranças e, mesmo que doa um pouquinho, nada melhor do que lembrar. Vou fazer minha listinha de músicas que me fazem voltar no tempo...

Take my breath away
É provavelmente a música mais brega que qualquer um já ouviu. É aquela música do Tom Cruiser no filme Top Gun. Hoje, quando ouço, tenho náuseas. Mas no final dos anos 80 era a minha música com uma namoradinha que eu não cheguei a ter na 4ª série porque eu tinha vergonha de “pedir em namoro”.

Queixa
Essa ainda é recente e seguramente é a que mais dói entre todas as canções. Essa música me remete a uma noite onde eu brigava com minha ex-namorada e ao fundo essa música tocava. Quando dei por mim ela estava reclamando e Caetano canta: “...e eu te grito essa queixa”. Daí eu fiz uma brincadeira com a frase e nós rimos. Acabou a briga. Mas quando essa música toca juro que penso em pegar meu telefone só para ouvir a voz dela...

Sem Você
A primeira vez que eu ouvi essa música foi com o Chico Buarque. Essa me lembra meu último encontro com minha ex-namorada. Ainda sinto seu perfume e o gosto da sua boca e do seu beijo, enquanto eu a vejo deixar meu carro. Mas eu vou superar.

Pedaço de Mim
Se fosse possível descrever um sentimento, no caso da música – saudade – nenhum texto, dicionário ou música poderia traduzir tão bem quanto essa. Quando Chico canta que: “saudade é o revés de um parto. Saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu”, eu penso no quarto, na mãe e na tristeza que deve tomar seu peito enquanto ela remexe as coisas do filho... Isso sim é triste.

Yesterday
Esse tema me lembra meus 10 anos. Eu lembro de ter assistido pela 35ª vez ao filme “Curtindo a vida adoidado” e tem a hora do desfile em que Ferris canta Twist and Shout. Eu adorava a música e queira tê-la de qualquer maneira. Até que um dia eu achei uma fita do meu pai dos Beatles. Como eu não sabia o nome da música eu tive que ouvir uma por uma, dos dois lados... Quando tocou yesterday era como se eu conhecesse a música. Fui tomado por um sentimento inexplicável e até hoje adoro a música.

Pais e Filhos
Foi através dessa música que eu me apaixonei pela Legião Urbana. Numa bela manhã de qualquer dia de 1989, ano eleitoral, um amigo passou cantando “quero colo, vou fugir de casa...”. Eu pensei que era uma música eleitoreira e, como eu já gostava (e ainda gosto) do Lula, não quis saber da música. Até que eu ouvi no rádio e me encantei. Arrumei uma fita cassete e fiquei com o Rec-play-pause pressionados até que a música tocou. Bons tempos esses da fita cassete...

Sua estupidez
Essa me lembra muito meus tempos de Rio de Janeiro. Minha mãe sempre gostou muito do Roberto e isso deve explicar o meu também. Lembro que ela ouvia e ouvia diversas músicas e não sei por que essa marcou mais. Mas o repertório de músicas tristes e lindas do Roberto que me remetem ao passado é infinito.

Vento no Litoral
Eu me vejo caminhando no Arpoador e sentando em alguma daquelas pedras, pensando num amor perdido sempre que ouço essa música. Incrivelmente eu sinto a brisa do mar, o cheiro da maresia e aquela dor de quem perdeu um grande amor.

I loves you porgy
Bom, não sei quem é o compositor da música, mas além da linda versão da Nina Simon conheço a versão ainda mais linda do Renato para essa música. Trocando um pouquinho de nada o sentido, tirando os pronomes masculinos, eu consigo me ver na condição do cara que se submete ao amor de uma mulher para não perde-la.

Minha flor, meu bebê
Mais uma música que fala da submissão ao outro para não perder o amor. E essas que falam de submissão me lembram todos os meus relacionamentos, porque eu sou o tipo do amante que se submete para não perder, como se eu não merecesse o amor.

Logicamente para mim é muito difícil fazer uma lista tão resumida de músicas, porque além de conhecer uma infinidade de canções – em especial das tristes – eu sou um amante da música e eu consigo fazer com que cada uma delas seja aplicada a um dia ou a um sentimento.

E vocês, têm sua listinha preferida?

5 comentários:

Mary disse...

Humm, adoro Vento no Litoral... :)

A música de dor de cotovelo mais marcante pra mim foi "Atrás da Porta" do Chico, mas eu sempre gostei mais da versão da Elis...

Tem uma do Zeca Baleiro tb, Brigitte Bardot, que diz assim: "A saudade é prego-parafuso quanto mais aperta tanto mais difícil arrancar"...

Tem uma do João Bosco chamada "Vida Noturna" que foi das dores mais recentes... rsrs...

Humm, em inglês? Acho que nada tão marcante... Gosto das letras em português... Mas a do Damien Rice (The blower's Daughter) é meio dor de cotovelo tb... :P

Ahhhh! Da minha adolescência uma muito marcante (até hoje ainda) é Black do Pearl Jam...

Affe! Tem música demais... Lembrei de milhares agora! Tb adoro música, Vini!

Ótimas lembranças! ;)


Adoro ouvir a versão da Gal de "Sua estupidez"...




Meu bem
Meu bem
Você tem que acreditar em mim
Ninguém pode destruir assim
Um grande amor...........


:D

Bjus p'cês!

PatriciaM disse...

Toda dor de cotovelo tem que ter trilha sonora, né Vini! Ai, Ai...

Adorei as suas...mas aquela da 4ª série... essa música é antiga assim?! :P

Beeeijo!!!

Thiago de Góes disse...

Se você gosta de curtir dor-de-cotovelo ao som do mais puro brega, gostará de ler os Contos Bregas: www.contosbregas.zip.net

Anônimo disse...

This is very interesting site... film editing schools

Anônimo disse...

best regards, nice info » » »