domingo, maio 21, 2006

Ide, ego, ista. Eu sou egoísta.

O ser humano é mau. Do primeiro fio de cabelo até o dedão do pé. Mau na essência. A farsa, conhecida como sociedade, é prova disso. Ou alguém cumpre TODAS as obrigações porque é o correto a ser feito? Ou simplesmente paga imposto porque vai ajudar o país? A ausência de regras e leis tornaria a convivência em conjunto impossível, porque o homem é mau.

Meu sobrinho de 6 anos é mau. Ele já tem alguma idéia do que é mau e do que é bom e, quando ele quer sacanear, ele faz o mau, porque nascemos programados para matar. Eu aprendi falar palavrão quando tinha 4 anos. Foi bem naquela idade onde tudo o que se faz rende risos abobalhados da família. Não sei se riram abobalhados de mim. Acho que sim. Todos riem. Levei mais 2 anos pra começar a usar o novo vocábulo pra ofender alguém. Todos fazem assim.

Eu sou egoísta. Nunca gostei de dividir nada com ninguém e não sou diferente de ninguém. Sou até muito parecido com todos. Nunca explodi um prédio, mas minto pra pessoas que me amam. Não faço guerra, não faço amor e nem oro pela paz. Nunca trafiquei, mas uso drogas. Alguns sobem o morro, eu compro no bar. Não tem muita diferença, porque a distância entre a hipocrisia e a preocupação com a saúde pública termina onde é mais fácil ganhar dinheiro. Porque se a preocupação fosse com minha saúde, ninguém venderia cigarros ou cachaça.

Nunca roubei, nunca matei, mas nunca fiz nada que redimisse 20 anos de exílio do bem. Sou igual a maioria. Sou mau. Não porque faço o mal e sim porque me esqueço de fazer o bem. Sou igual a maioria. Apodreço no meu sofá achando que dizimo as mazelas com o controle remoto da televisão. - Tira daí. Põe na novela! Inútil. Entulho casacos no guarda-roupa achando que acabo com o frio dos outros escrevendo num blog.

Eu sou um vírus, um câncer no mundo. Mas não sou diferente de ninguém, sou igual a você, eu nasci e vou morrer assim. Eu não presto, ninguém presta. Sou do tipo que não ajudo, atrapalho, ponho a culpa no governo e me conformo. Somos tão maus que nascemos predestinados a morrer.

Somos tão maus que para ganhar dinheiro esquecemos que certas coisas prejudicam os outros. O homem é o tipo de animal que mata por prazer, dizima por dinheiro e se preocupa com luxos, esquecendo do primário: sobreviver.

E toda essa afirmação serve de base para o que vem por aí: não espere do governo uma ação para acabar com a violência. Tudo o que aconteceu em São Paulo nos últimos dias serve para confirmar o que eu venho dizendo. Gente, não existe sociedade, o homem é primata, nasceu para viver em bando. Insetos vivem em sociedade. Primatas, em bando. Sempre foi e sempre será assim. Não podemos modificar a natureza.

Como podemos acreditar em sociedade diante de todos os acontecimentos do mundo, desde que ele existe? Não parece verdade que toda essa onda de violência e rebeliões foi motivada simplesmente porque mudaram os líderes do crime organizado para cadeias de segurança máxima e retiraram suas regalias. Os caras roubam, matam, estupram e depois reclamam seus direitos. Que direitos?

E não me venham falar em Direitos Humanos, estou sem paciência. Direitos Humanos para eles de cu é rola! O Princípio da Isonomia diz que devemos tratar os iguais como iguais na medida da lei, ou coisa do gênero, já que não sou (e nem pretendo ser) advogado. A questão é a seguinte: direitos iguais meu ovo esquerdo! Eu não sou igual a quem trafica, rouba, mata, estupra e comete qualquer tipo de crime, especialmente o hediondo.

Não estou aqui para advogar ou promover polêmicas. Quero apenas, nesse espaço, deixar minha indignação não apenas diante dos acontecimentos, mas em especial, ao blá blá blá eterno de direito dos presos. Direito para eles é uma bala na cabeça e uma cova funda, para não sentirmos o podre de seus cadáveres. Estou sendo extremista? Foda-se. Sou humano, sou mau.

Estou cansado de tanta impunidade, tanta falta de justiça para nós, cidadão honestos. Estou cansado de trabalhar para manter filho da puta na cadeia. Para mim, tá na cadeia fodeu. Banho de sol é para quem é honesto. Encontro íntimo? Bata uma punheta ou se comam uns aos outros.

É tão revoltante ver um filho da puta representante dos direitos humanos falar em defesa de bandido. Olha aí o resultado de tanta defesa: rebeliões, prejuízos para todos nós. Se tiram o banho de sol, a pelada diária e o encontro semana com o advogado, quebram tudo. Eles queimam colchões, depredam prédios públicos, destroem a porra toda e nós, otários que vivemos enclausurados em nossas prisões domiciliares que nos fodamos para pagar a conta depois.

Vou ser prático e direto: seu crime é hediondo? Prisão de segurança máxima, privação total de contato com o mundo exterior, trabalhos forçados para sobreviver, UM encontro mensal com o advogado (se necessário for) e já está mais que suficiente.

Enquanto o bandido puder matar e o a polícia responder processo por atirar em bandido, teremos isso tudo aí. Enquanto existirem órgãos que se preocupam mais com o preso do que com NOSSA segurança, viveremos em estado eterno de sítio.

Ah, enchi o saco, não quero mais falar! De qualquer forma, me desculpem pela agressividade e até mesmo excesso de infantilidade nas palavras. Não quis escrever um texto com argumentação lógica, foi apenas um desabafo.

6 comentários:

Viajante14 disse...

Entendo a sua indignação vinicius, mas há coisas que devem ser consideradas e que as pessoas normalmente se esquecem.

Violência no Brasil é um fator social. Neguinho não tem estudo, não tem perspectiva de vida e vê branquinho com carro do ano, roupa cara e tantas outras coisas e, você pode ter certeza, se indigna tanto quanto você está agora. O ato do PCC é resultado da péssima politica social que vem sendo empregada há décadas. Não foi só porque mudaram os líderes, é algo mais profundo meu amigo, é algo que vem desde a infãncia deles.

Ponha-se na situação de um favelado do Rio ou de SP, que não tem nenhuma perspectiva de vida que não seja o preconceito e que vê no noticiário politico desviando milhões de reais que deveriam estar lá ajudando na criação dos seus próprios filhos. São pessoas que são sustentadas pelo tráfico e pela violência porque se dependessem do governo ou deles mesmos morreriam de fome, seus filhos(muitos deles tem filhos sim) não poderiam ser criados.

Negar os direitos humanos à pessoas que não tiveram a nossa mesma formação cultural é elitismo e sofisma. Somos iguais porque se talvez eu(ou vc) tivesse sido criado naquele meio e tivesse que traficar e me(se) filiar a organizações criminosas para poder garantir o pão na mesa dos meus filhos, estaria lá fora matando gente, sendo preso, como acontece com o que estão lá. E não me venha com aquele papo burguês que isso acontece com a minoria e que só as pessoas más por natureza é que são assim porque é ingenuidade acreditar nisso. Na favela mesmo, os moradores ajudam os traficantes e não ajudam em nada a polícia e quando se tem um filho homem, se não virar assalariado vira traficante. É a realidade.

Essa história que o homem é mal por natureza é puro (e falso) niilismo. Porque se assim o fosse, os seres humanos ainda seriam animais e não se explicaria a organização sócio-econômica dos índios, mas isso é outra história.

Voltando...

O caos, diferentemente do que a midia denuncia, não é de segurança pública, é social. Vemos em SP o resultado de anos de péssima distribuição de renda, de péssimos governos que passaram pelo estado e pelo país.

E a resolução disso é simples. Conscientização, voto, cidadania. Sem isso o que aconteceu em SP tem grandes chances de se repetir.

Vinicius disse...

Fábio,

foi como eu falei no final do texto: não há argumentação lógica, é um desabafo puro e simples, sem análises mais profundas.

Não discordo do seu ponto de vista. Aliás, meu objetivo não foi comentar ou criticar às massas ou favelados. Falei sobre a insistente defesa dos direitos dos presos em detrimento dos nossos próprios.

Os presos, em especial aqueles que cometem crimes hediondos, têm muitas mordomias e regalias. Isso explica, em parte, todas as rebeliões e motins, pois eles sabem que, não importa o que façam, sempre haverá um organismo em sua defesa.

Veja exemplos das cadeias norte-americanas. Lá só tem direito preservado o preso que se comporta. Os nossos não trabalham, continuam comandando o crime e ainda por cima destroem nosso patrimônio e o que fazemos? Nada!

Sou contra o direito dos presos e continuarei sendo! Precisamos de medidas duras e impiedosas. Só assim eles se comportarão e aqueles que ainda estão soltos sentirão medo.

Da maneira que está, nada mudará.

Mais uma vez, não dá para escrever aqui com muita argumentação e profundidade.

Abraços.

Vinicius disse...

esqueçam as crases erradas. Só agora percebi!

Múcio Góes disse...

Direitos humanos para os humanos direitos! Sou puto com essa de visita íntima. Quem quer foder/transar não comete crime, nao vai preso. Vida normal é pra quem tá aqui fora, pra quem é livre! O pessoal dos DH´s foi na casa de algum policial morto??

tou muito puto com tudo, Vini!

[]´s

Anônimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it Buy zyban search Asian hip hop honeys mesotherapy us.com arlington facelift Prulink asia equity fund sexual side effects from lipitor

Anônimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it »