domingo, julho 03, 2005

Semana de Apresentação

1, 2, 3. Testando (batidas leves no microfone)...

Coube a mim o primeiro post. Mais um blog entra no mundo virtual. Novas idéias e novas pessoas embarcam nesta aventura. Somos 8 ao todo. Um para cada dia da semana e André, criador do layout e correspondente intergaláctico do nosso Blog.

Esse é meu primeiro registro aqui no “Expressões Digitais”. Ta certo. Preciso admitir que depois de meia garrafa de vinho chique e forte, não passo mais no teste do bafômetro. Mas ainda, com condições etílicas para pensar, brincarei com o nome do Blog.

De acordo com o pai dos burros, “Expressão” quer dizer: s. f. 1. Ato ou efeito de exprimir. 2. Ato ou efeito de espremer. 3. Manifestação do pensamento. 4. Maneira de exteriorizar pensamentos, comoções e sentimentos.

Já “Digital” é algo do tipo: adj. m. e f. 1 Relativo aos dedos. 2 Relativo a dígito. Não gostei muito dessa definição, porque neste caso o digital é relativo a computador. Mas isso não vem ao caso.

Juntando os nomes a gente pode definir a nossa “expressão digital”: Pensamentos espremidos com nossos dedos, como cravos ou espinhas, no mundo virtual, com um toque de sentimento.

Agora fiquem com meu post de apresentação!


Uma história sobre Deus, o Diabo e Eu

Eu moro numa rua poética. O bairro é do tempo do rococó, o que me deixa muito feliz, porque eu gosto de rococós e essas frescuras que deixam as cidades mais bonitas. Pelo menos deixavam. Hoje em dia tudo é vidro espelhado e concreto. Acabaram com os detalhes e com a poesia das cidades.

Na rua onde moro tem poesia no chão – paralelepípedo (eu sempre achei que essa era a forma errada de falar...). Tem um forte com mais de 200 anos e casarões coloniais. Sempre que piso em uma das pedras, penso que algum herói da nossa história também já andou por ali. Gosto de pisar na história.

Penso em quantos escravos derramaram sangue nas ruas onde hoje me divirto. Ou quantos homens se divertiram com suas mulheres de vida fácil nos becos em que, aos poucos, diminuo minhas horas.

Gosto da poesia da vida antiga. Da educação e da cordialidade que perdemos ao longo dos anos. Gosto da música antiga, das roupas de época. Se existir reencarnação, seguramente vivi em uma época próxima e minh’alma ainda está muito ligada ao mundo em que pertenceu. Até porque o mundo de hoje não é como o de antigamente.

Gosto da noite, gosto da boemia. Gosto de ver o momento em que as estrelas saem para trabalhar e quando elas voltam para casa, para descansar com suas famílias. Gosto de bebida com álcool. Gosto de cigarros Hollywood. Gosto de rock and roll e gosto de chorinho. Gosto de jazz e de samba. Gosto de blues e de bossa nova.

A bebida e o cigarro são prazeres do diabo. Porque quando Eles fizeram a divisão, tudo que era do homem ficou com o Diabo. Deus só ficou com as coisas d’alma. A música é coisa de Deus. Pelo menos para mim, que tenho a música como alimento da minha.

Eu acho que é por isso que dizem que o bem e o mal andam de mãos dadas. Eu não consigo dissociar a bebida, o cigarro, a música e a noite. São elementos de Deus e do Diabo, mas geralmente ando com eles, misturados com a poesia e com meus pensamentos defumados.

E é escondido nessa fumaça cinza que me revelo. Uma mistura de Deus e Diabo. Alma e carne. Oração e profanação.

E na minha rua, cheia de poesia, com suas pedras históricas e casarões seculares, vou me concluindo. E junto comigo uma garrafa de vinho chique e pretensioso.

12 comentários:

André disse...

Eu também sou parecido com você... Tirando o cigarro Hollywood... Tenho vários fatores bem parecidos. Sou boêmio... Amante de música e de bebida (com álcool)... Deveria ter nascido nos anos 50 e nunca ter vindo parar em um mundo digital! rs =)

Muito bom o texto inicial! Abraços! =]

Múcio Góes disse...

Sabe, Vinicius, "eu queria ter vivido os anos de chumbo, queria ter sido exilado no Chile, não torturado, claro! Queria ter sido um ativista político, um marxista-leninista, coisas do genero. Não deu. Cheguei em 69, qd fiz 10 anos a abertura já era a retórica da hora..." Mas, repensando, bom eh estar aqui hoje, lendo crônicas como as tuas, poesia espremida com carinho, sem machucar as letras... Parabéns! []'s

Liliane disse...

gostei do blog, da galera e do post..........
bjokas
espero ser assidua aki

Clóvis disse...

Vim aqui a pedido da minha linda Marina Morena.
Que bom poder ler o blog desde o começinho.
Também tenho estas pirações, vivo na lua. rs

------------
Gostei do texto.
Bastante interessante.

Beijos.

Baiano disse...

Então brindemos!
À seqüência e ao início!


[]´s

PatitaM disse...

Belo início de encontros nossos, menino Vinícius!
E aqui reafirmo a poesia da tua rua...onde em algum ponto encontra com a minha... neste bairro, onde com tuas lembranças pisas na história e com tuas palavras, acrescentas, a ela, mais uma linha...

Beijo grande!

Dadox disse...

7 pessoas caíram felizes contando comigo! :)

Mary disse...

Seu texto é pura poesia! Adorei! ;)
Beijos!

Ercília disse...

Bom Vinicius, abristes com chave de ouro esse novo empreendimento literário, que embora a princípio seja destinado a reunir crônicas, pelo visto não vai faltar poesia. Ainda bem!!! Espero que no fim da semana quando chegar a minha vez, eu possa corresponder a altura.

lelia sampaio disse...

Gostei deste blog mesmo antes de ler o texto. Gostei da proposta, gostei da cara, gostei das caras. E acho, Vinícius, que vc foi muito feliz em distribuir as "posses" (o que é do homem pertence ao diabo e o que é da alma pertence a Deus). Putz! É isso, aí. Gostei de ler, tentarei ser assídua na casa de vcs. Boa sorte!

Vinicius disse...

Oi pessoal,

que bom que vocês gostaram do primeiro post. Fico feliz em poder participar e contribuir para esse projeto super interessante.

Abraços e beijos

Anônimo disse...

best regards, nice info sport bottles