quarta-feira, outubro 26, 2005

Sobre uns olhos que vi


Aqueles olhos eram algo assim divinos, uns olhos agateados; no formato eram sim, agateados, pois na cor eu sou suspeito, e gatos, esses, têm os olhos da cor que querem. Ela era loira, nesse ponto posso garantir: era loira! e era bela. Claro que era. Não estariam aqui estas palavras se não fosse bela. Mas creio que agora ela me fez ser preconceituoso; prova do poder que exercem as belas sobre nós. Um crime, discriminar umas em favor de outras, usando a beleza como pretexto. Mas, da cor... desta direi verde, eram verdes? Posto que padeço de uma inexplicável, parcial e indefinida forma de daltonismo que me leva a desconhecer certas cores; explica-se assim o fato de tê-los como verdes. Eram umas esmeraldas belas, das que se mexem, direcionam-se tal qual uma “smart bomb”. Mas, voltando ao tema, era loira, isso era. Estava escuro, mas não erraria, não àquela distância, ela quase aos meus pés, a loira... a bela... Não posso falar de outros detalhes, não fugirei além dos olhos, afinal, foram eles, e somente eles que fisgaram os meus. Estático, estava eu diante daquele verdadeiro poema, olhos poéticos em sua essência, belos, enigmáticos, doces, verdadeiros ímãs. Enquanto estático, como já falei, ela se aproximou, e eu totalmente embevecido sequer percebi. Reagi lentamente ao seu toque no meu ombro, ainda não acreditando, pois, o que teria visto em mim tal criatura? Ela me falou algo, o digo por que vi seus movimentos bilabiais, e que lábios aqueles, brilhando num escarlate ímpar, confesso até que me deram sede. Sua voz era imperceptível, talvez pelo barulho do local, ou me parece que sussurrava, enfim, não sei o que me disse até agora, e daria minha pele por sabê-lo. Rápido como veio ela se foi, deixando como herança um cheiro nunca sentido por mim antes, e esse verdadeiro enigma das palavras indecifráveis...
Luz e Paz!

3 comentários:

Vinicius disse...

Gostei mais dessa mulher que daquela que Deus não mostrar "pragente".

Abraços cara!

Mary disse...

Ela deve ter soltado um pum e dito:

"Cruzes! Preciso ir ao banheiro, visse?!"


;P~

:**

PatitaM disse...

HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHA
HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA

Mary, eu concordo com vc, ainda mais pelo simples prazer de denegrir as louras sempre tão perfeitas!

Mú, você sempre você e suas palavras que me encantam!

Cheiro!