segunda-feira, dezembro 26, 2005

São Paulo - 24/12/2005 - 14h00

Foram presos ontem, por volta das 3 da manhã em suas casas, graças a uma ação conjunta das polícias de vários estados, 5 adolescentes envolvidos em crimes virtuais. Outros 7 ainda estão foragidos, mas deverão ser presos nas próximas horas. Aquele que parece ser o líder do grupo cracker, conhecido no submundo como "j3suZ", assumiu a culpa pelos crimes de invasão, defacement e manipulação/destruição de dados, tentando inocentar seus amigos. A mega-corporação "Micro-Morning-Star-Soft", alvo do ataque, não se manifestou ainda sobre o ocorrido. O grupo, conhecido como "Apostles of Doom", vinha sendo um dos mais atuantes dos últimos anos.

j3suZ aproveitou-se de falhas em determinados serviços, e utilizando-se de um exploit desenvolvido por ele mesmo, iniciou há algumas semanas um ataque a 2 dos maiores e - até então - mais seguros servidores da Micro-Soft. Os crackers, desenvolvendo um bom trabalho de equipe, já haviam conseguido entrar nos servidores e a partir deles, sem ter sido notados, já haviam ownado pelo menos 3 máquinas de vital importância dentro da estrutura da empresa, inclusive várias bases de dados, nas quais haviam feito grande estrago. O interessante é que em momento algum suas ações foram percebidas pelo pessoal responsável pela segurança de rede da Micro-Morning-Star-Soft. j3suZ e seus parceiros foram pegos somente porque um dos integrantes do grupo, conhecido como JhudasH (também detido posteriormente), descontente, resolveu delatá-los.

j3suZ - cujo nome não será divulgado por tratar-se de menor - tem 17 anos e é filho de classe média-baixa de um subúrbio paulistano. Usou computador pela primeira vez aos 10 anos, numa aula de extensão de informática. 6 meses depois já invadia o sistema do colégio, adulterando suas notas e de mais alguns colegas. Formou o 'Apostles of Doom' com mais 12 amigos recrutados em canais de IRC. Todos jovens e habilidosos programadores, muito criativos na arte da invasão de sistemas. P3truZ, o segundo em comando no grupo por exemplo, é excelente desenvolvedor C, e foram atribuídas a ele pelo menos 10 ataques de defacements a sites de grandes empresas no ano passado. Sempre teve muita admiração - tanto técnica quanto pessoal - por j3suZ, e o que se comenta é que sempre almejou a liderança de grupo.

Um dos primeiros grandes ataques conduzidos pelo grupo, e que acabou por torná-lo famoso, ocorreu há quase 3 anos e teve como consequência deixar a Micro-Morning-Star-Soft por um dia inteiro fora do ar. Aliás, j3suZ sempre teve como idéia fixa a derrubada da empresa, e nunca negou isso em nenhuma das metafóricas declarações que dava com razoável frequência em veículos de divulgação de cultura underground, e chamados romanticamente de "os sermões de j3suZ". Este ataque em particular ficou famoso - além dos motivos óbvios da derrubada da maior empresa de desenvolvimento de software do mercado - por ter sido planejado e conduzido em sua maior parte por Madalena Santos, 18 anos (a "Mad_Mary"), cracker habilidosíssima, e segundo consta, favorita de j3suZ. Segundo depoimento de fonte anônima, os dois (que nunca chegaram a se encontrar pessoalmente) tinham um relacionamento estranho de amor/ódio que já durava meses. Madalena mora em Salvador com os pais, num confortável apartamento no centro da cidade, e demonstrou desde muito cedo habilidade com tecnologia em geral, além de dificuldade nas relações sociais. Era a principal responsável pelo planejamento e logística dos ataques do grupo, e ainda segundo a mesma fonte, causa de ciúmes de p3truZ, já que vários dos outros membros viam nela uma fonte de inspiração.

Um fato interessante na vida de j3suZ é que na época de seu primeiro grande ataque à Micro-Morning-Star-Soft ele foi sondado por headhunters da própria empresa, que conseguiram fazer contato num canal de IRC. Apesar de negado por sua acessoria de imprensa, soubemos que por cerca de 40 dias foram feitas várias propostas financeiras tentadoras com o intuito de levá-lo para seu quadro de funcionários. j3suZ não aceitou nenhuma. Vale lembrar que a Micro-Morning-Star-Soft sempre esteve envolvida em boatos de comportamento anti-ético e tentativa de formação de monopólio, sobre os quais alertava j3suZ em seus 'sermões'. Uma de suas principais técnicas é a absorção de tecnologia e mão-de-obra concorrente.

Com o desmantelamento do carismático grupo, e com a falta de provas contra os outros acusados (apesar da batida na casa de alguns e posterior prisão, a polícia não conseguiu ainda encontrar provas com nenhum deles), além da atitude de j3suZ de assumir toda a culpa do crime sozinho, é provável que os apóstolos detidos sejam liberados sob fiança. Já se nota certa comoção nos meios underground e pelo visto é certa continuação do grupo, sob a tutela intelectual de p3truZ (ainda que haja facção que siga Mad_Mary, que se auto-intitulou "Dev0t0s de Maria").

Mais notícias na edição de amanhã

2 comentários:

Baiano disse...

Cara! Que viagem!
O quanto tem de verdade nisso?
100%? Foi essa operação da PF que teve esses dias, que passou na TV?
O traídor foi mesmo o que já se chamava Judas? :)

[]´s

PatriciaM disse...

E eu vou ter que ler de novo... ou ter aulas deste mundo digital contigo... :P