quinta-feira, abril 06, 2006

Tempo.


Areia que se pelo raio de sol sobranceiro. Dança de um universo que suja o eterno. Desta sacada , meus olhos miram até a linha do horizonte, e deles foge apenas o tempo.

Seguem o flutuar de uma nuvem longínqua, buscam o céu limpo, o chão imperfeito. Cada imagem que percebem não existe. Atravessam os ruídos que sempre se parecem, e que em mim quase tocam, como se pudesse arrastar sobre eles as pontas dos dedos.

Abençoa-me esta fumaça branca de tabaco velho. Abençoa-me o frio do vento. Abençoa-me a água salgada que o mar entrega através do céu vermelho.

Abençoa-me, em forma de luz, a vida que se transforma ao longe. As pernas da menina que aperta cadernos contra o peito a levam para longe. Os braços que envolvem a criança de olhares afoitos a levam para longe. Os carros seguem seus caminhos geométricos, e levam seus passageiros para espaços fechados, sufocados, ao longe.

Em nenhum desses lugares, por mais distantes dos meus olhos, guarda-se o tempo. A substância que constrói cada uma das coisas. A luz que reflete na retina de uma forma a cada vez, e que é a trilha do nosso encontro com o infinito.

Não é assim nesta sacada. Intangível, invisível, quase inexiste um segredo sagrado, que paira sobre tudo em volta, do meu tempo em suspensão, aguardando tua benção.

Aguardando que a luz chegue em minh´alma refletida por seus cabelos vermelhos, e que teu olhar castanho me abençoe pelo infinito que perdure.

E que é tempo nosso.

8 comentários:

d1T0 disse...

Agora a de cabelos vermelhos é personagem recorrente em seus blogs? Se é que vc me entende...

PatriciaM disse...

O tempo...

O tempo vive nas nossas lembranças...

Beijo!

Leonardo Caldas disse...

eu adoro quando ele resolve ser descritivo assim! :)
e, bom... tá na cara que, igualzinho a mim, você tem uma tal duma mulher que por mais que tente se afastar, inconscientemente retorna a teus textos... cabelos vermelhos a tua, olhos claros a minha...

Ninha disse...

Dido!????

É vc mesmo?

Lélia Maria disse...

O maior charme do tempo é que ele foge - Tempus Fugit. Mas também deixa as lembranças e impressões com a gente, até quando a gente quiser conservá-las.

Mary disse...

Todo poético. ;)

Anônimo disse...

Cool blog, interesting information... Keep it UP » »

Anônimo disse...

Best regards from NY! film editing schools