segunda-feira, agosto 28, 2006

Lugar Errado.

Não espere toda a sinceridade, todo o coração. É o lugar errado, e eu não estou aqui para declarações de afeto.
Não espere de mim ajuda, não espere um sorriso inocente, não espere ânimo, condução. Nem é bom esperar amor, ou, sequer, amizade.
De forma alguma precise de colo, carinho, afago ou perdão.
Não espere de mim constância, porto seguro, chave de casa, telefonema amanhã. Não me peça um cigarro e nem fogo.
Não espere doçura, e não tente apreciar o amargor.
Não espere que eu ria se não tiver graça. Não pense em cortesia, em modos britânicos. Não imagine, sequer, elegância ou sofisticação. Nem muita tolerância - talvez o mínimo, meio amarga, de quem entende.
Eu talvez não faça a barba, e talvez não esteja vestido adequadamente.
Eu talvez não esteja nem aí.
Talvez eu seja aquele cara que todo mundo tem medo de um dia ser, ou de na verdade ser. O que se perdeu dessa linha, e que achou, em um momento, que era tudo hipocrisia. E de lá para cá, não está nem aí.
Talvez, no fundo, eu até espere alguma coisa. Mas não espere de mim. Não tenho pressa, e nem quero nos meus ombros o peso de expectativas.

3 comentários:

Mary disse...

É... Apenas seja...

Mas, a gente sempre espera algo... Até a vontade de não esperar...

Muito bom, Dido! :)

Beijos!

a superlativa disse...

não esperarei!! rs

(ps: vou inspirar meu novo profile do orkut no seu texto... rs FATO!)

Lux disse...

The ordinary man
strikes back and again.