segunda-feira, dezembro 25, 2006


É esperável que se diga coisas boas.

Eu, às vezes, sou um velho ranzinza, desses de vinte e poucos anos que tem por aí. Resmungo e praguejo um pouco, com velhos chavões da minha laia, como "reafirmo", "eu já falei", "tá cada vez mais assim".
Ando preocupado, atualmente, com esse mundo de gente espaçosa. Tenho visto tanta gente que insiste em ocupar mais espaço do que precisa, do que convém, do que tem direito, principalmente, sem invadir o espaço dos outros. Muitos transeuntes, outros muito próximos.
E tem ainda quem nos critique - a nosotros, que preferimos um pouco mais de discrição -, por falta de ambição, jogo de cintura, política, sangue no olho.
É o tempo do ídolo Roberto Justus, e eu queria mesmo que o pobre coitado que o demitiu não chorasse tanto depois.
E estamos precisando, vejam como esse mundo gira!, voltar a ter lanterninhas nos cinemas!
(Se bem que talvez essas idéias sejam só ecos do meu mau-humor.)
Não é sem propósito tudo isso, deixem que eu diga - antes que vocês achem que estou só querendo estragar a noite.
Natal, fim de ano, é tempo de dizer coisas boas, e de preferência de fazê-lo com sinceridade. Depositando esperanças, procurando-as dentro de si, enaltecendo o que temos de bom para oferecer e para colher.
E vocês são as minhas esperanças. Meus bons amigos - que não ocupam tanto espaço.
E cultivo a esperança de que estejamos mais próximos num futuro próximo, nas próximas ocasiões, na proximidade não de um bairro, um telefonema, ou um blogue, orkut, e-mail, mas de um abraço.
Feliz natal!
E um 2007 mais próximo para nós!
[]´s

4 comentários:

A czarina das quinquilharias disse...

é um bom desejo. é sim :)

Melina disse...

As idéias (sejam ecos do mau humor ou não) se acomodam perfeitamente no espaço do texto. Não precisam de mais. Está aí tudo o que precisa estar.

Poemas e Cotidiano disse...

Oi,
Achei genial o nome do seu Blog.
Um abraco,
MARY

Vinicius disse...

Eu pensei em escrever um texto sobre no natal. Na verdade até escrevi, mas achei por bem não publicar, porque não gosto de natal e não gosto mais ainda de estragar o dos outros.

Não gosto de cinema: especialmente filmes populares que chamam adolescentes - não tenho mais paciência para eles, pois sou um velho ranzinza de vinte e poucos anos...

Muito bom o texto, como de costume.

Abraços e bom ano novo cara!