quarta-feira, maio 09, 2007

Quando o amor explode

Hoje eu acordei querendo ter notícias suas. Fechar os olhos e relembrar seu cheiro. Depois de tantos anos e desencontros você continua dentro de mim. É estranho saber que o meu silêncio constrangido durante as suas acusações de descaso não delatou a minha inocência. Sua voz ansiosa por meu aconchego ainda está na minha mente. Como eu posso te explicar que uma sucessão de coisas pequenas impediu o nosso sonho? Não foi covardia, não foi um outro amor... Só posso culpar o maldito acaso que mais uma vez me levou para longe de você.

Eu sei que você não vai ler esse desabafo. Mas hoje eu levantei da cama convicta de que amo você. Só você. Sempre você. Meu amor primeiro, meu príncipe encantado do mundo cor de rosa e azul claro.

3 comentários:

Diógenes Pacheco disse...

Essas marés são assim...

Dart Araújo disse...

Super engraçado quando a gente ler um post desses...acho que todo mundo um dia pensa mas não escreve isso.........risos!!!!viagens

Leonardo Caldas disse...

já levantei da cama algumas vezes convicto de que amo alguém também... bom... o que chega a ser quase irônico, considerando que é um amar imutável, que sobrevive aos anos, mas tá tão lá dentro e é tão latente que só de vez em quando é que lembro... e daí, acordo (cor-de-rosa e azul ou não).

gosto da maneira como você descreve as coisas.