terça-feira, julho 19, 2005

Reticências...

O Sono...

Cheguei a alguns minutos...Falta muito pouco para acabar a terça e já não resta lucidez para fazer um texto. Estou cansada. Meus olhos estão travando uma guerra com o sono, lutam pela liberdade deste tom castanho...Estou quase a caminho dos sonhos. Essa porra, tá até rimando!
Eu havia prometido que não mais deixaria pra escrever brigando com o tempo...O tempo tem canelas altas e suas rasteiras são certas... Promessas... As que fazemos a nós mesmos são sempre as mais fáceis de descumprir.

O Surto...

Resolví surtar em uma segunda. Literalmente "Pirei o cabeção!". E não podia fugir para catar marisco na praia... Será que mais alguém neste mundo despiroca? Devo ter pensado sobre isso algumas centenas de vezes... Dói o peito, o peso de algumas incertezas... Sessão Freud explica!

Suvaco alheio...

Pasta em uma mão, e a outra tentando alcançar o suporte lá do ônibus, em uma tentativa quase frustrada de me equilibrar...Levantei o braço e em frações de segundos abaixei...Que mau cheiro é esse? Misericórdia! Isso tá vindo de mim?! Me contorço tentando ser discreta...uma fungada e nada...(Retrocedendo...Ah! coloquei desodorante sim! ) E de onde tá vindo isso( pelamordedeus!) assim tão cedo?! Bafo de cachaça é ressaca, mas bafo de inhaca!!! Suvaco alheio, bem ao meu lado! Misericórdia de novo! E não tinha pra onde ir... parece que catinga segue rastro... tratei logo de colocar mais um cheirinho debaixo do braço quando cheguei no trabalho!

A Bandeira...
Ainda entorpecida pelo aroma suvacal, avistei uma bandeira Brasileira chacoalhante, estilo "Isso aqui é um pouquinho de Brasil, iá iá", no meio de um bocado de casinhas que de tantas, se perdem no horizonte. Bairro da Paz... É o nome daquele lugar, onde tem uma bandeira brasileira, um monte de casinhas que se perdem no horizonte, uma lista criminal de não matar ninguém de inveja e onde meu vizinho, comerciante local, foi sequestrado, torturado e morto. Lá naquele bairro, onde estava meu vizinho da Paz, um horizonte de casinhas, chacoalhando vários crimes e uma bandeira nacional.
A Terça...
Que já foi embora e não levou meu sono...
Anônimo...
Tô fudi... complicada dessa vez! :P

7 comentários:

Baiano disse...

"travando uma guerra com o sono, lutam pela liberdade deste tom castanho" belo e simples... :)
Malvinas. Essa história de Bairro da Paz é forçar a barra. Morava ali do lado, muro com as Malvinas, num daqueles condomínios da Orlando Gomes. É boca de zero nove mesmo...
Bela imagem da bandeira do Brasil.

[]´s

Anônimo disse...

Texto bonitinho, lembra o da neném, acho que este também foi escrito por você. Este texto tem o seu toque, uma característica que ainda não sei qual é, mas é sua e é bem bonitinha.

Classificação: 2 estrelas

Anônimo disse...

Descobri! O texto neném também foi escrito por você, porém levou outro título, deveria ter se chamado reticências I. Continue escrevendo... :P

Mary disse...

E esse anônimo já apareceu? hahaha! Pq não diz tua identidade, senhorita?!

...

Patita, seu texto ficou muito bom!
Eu gosto do seu jeito de dizer as coisas... E eu imagino o sufoco que voi pra você postar! Não se estressa, menina Patrícia!
Um beijão ;)

Múcio Góes disse...

De certa forma acho bom nao ter que pegar ônibus hoje, mas, se tivesse, queria sentado ao teu lado, Patati... Ia ficar triste na hora de descer... Linda a bandeira a tremular, ou seria tremer? Dadas as atuais circunstancias politico-nacionais?... []'s

Ercília disse...

Minha filha, que sufoco danado!!!! kkkkkk Tá quase empatando comigo, mas ainda tenho tempo pra tentar me apaixonar.

Agora, pegar ônibus assim é o fim da picada. E tem outro jeito?

Bandeira do Brasil a tremular me faz perguntar "Até quando?". Até quando vamos ter que agüentar sangue inocente e imundície alheia a manchar nossa bandeira?

Beijos pra ti, Patrícia.

Leonardo Caldas disse...

o(a) anonymous aí em cima parece ser um bocado perceptivo(a)...
notou o que eu já observo faz um tempão... essa coisa de a gente perceber que onde quer que se leia alguma coisa tua se sabe... "é... foi a pequena pati quem escreveu". isso sim é personalidade. :)