sábado, fevereiro 18, 2006

Receita para fazer um anjo...

... ela me chegou como quem conta um segredo, o dedo indicador em direção aos lábios finos e quase sem cor, como sempre foi, “acho que estou grávida!”, meu coração sobressaltou. Quase não acreditei na notícia que iria, como de fato aconteceu, mudar toda a minha existência. No dia seguinte logo cedo uma ligação confirmando a suspeita do dia anterior. “O exame deu positivo”. Lágrimas de felicidades, pulos de euforia, buquês de flores e a certeza de que o nosso sangue iria continuar neste mundo por pelo menos mais uma geração. Os contatos freqüentes passaram a ser diários. As mudanças no corpo, no humor e no comportamento se faziam presentes, a partir daquele momento ela já não seria mais a mesma. Uma pessoa melhor? Talvez. O certo é que seria uma pessoa diferente. Os dois primeiros meses foram tranqüilos, mas logo em seguida seu corpo mostrou que segurar o bebê não seria uma tarefa muito fácil. Sangramentos, algumas internações, muitos sustos. Mas sempre ficava tudo bem. Acreditou-se por muito tempo que seria uma menina, mais uma entre tantas. Mas não era. Quem estava por vir era um guri. Um menino com nome, e cara, de anjo. Finalmente um homem na família Sampaio. Já não era sem tempo, progesterona o tempo inteiro enjoa. Todos os dias vinham notícias dele contando as suas “aprontações” ainda dentro da barriga, imagine só! Imaginávamos como seria quando ele estivesse entre a gente... E a espoleta resolveu nascer antes do tempo. Dia 23 de junho. Decidiu que queria ser canceriano e não virginiano como estava previsto. Nasceu Gabriel! Dias difíceis se sucederam. As chances de sobrevivência eram mínimas. Mas ele lutou como já estava acostumado. E foram grandes batalhas. Batalha dele para sobreviver. Batalha de quem estava de fora. E o pensamento não saía daquele espaço com pouco mais de um m². E assim foi por setenta e cinco dias. Altos e baixos. Altos e baixos. Baixos e baixos... E ele, enfim, cumpriu a sua missão. Virou um anjo de verdade!

4 comentários:

Mary disse...

Nossa! Lindo texto, Lélia! :)

Seja bem-vinda aos digitais!!!

Bjus!

Leonardo Caldas disse...

eita... estreou a lea!
teus textos tem uma coisa tão "tua"... acho que qualquer um deles que eu leia onde quer que seja, vou parar e pensar: "ei, tem o dedo da lélia maria aí!"

tá sendo em grande estilo, lélia... é muito bom tê-la por aqui.

PatriciaM disse...

Que seja de nós mais uma extensão... e que carregue todas as consequências!!! :D

Sejamos portanto, felizes!

Grande abraço!

Anônimo disse...

Gosto de ler tudo que Lélia escreve. Somos parecidos no que escrevemos e no que somos em vida prática. Aliás, tudo que diz respeito às Marias da família Sampaio me faz bem. O menino Gabriel ficou muito pouco tempo por aqui, mas foi um tempo suficiente para deixar lembranças, lições e história.Coisas que muita gente graúda não consegue. Por isso o amor de Lélia. Por isso virou anjo. Lélia será sempre a minha Lenire, só minha.

Duda.