terça-feira, agosto 15, 2006














Vida-voante, silenciosa.
Se não fosse eu,
quem a notaria ?



Hai-kai do Leminski e foto feita em João Pessoa (PB). A (suposta) tristeza da menina que vende a "doçura" foi algo poético para mim e resolvi deixar o momento aprisionado no tempo.

5 comentários:

ObservadOOr disse...

Belos momentos... Abraços

Mary disse...

Ficou mesmo poético... A tristeza também tem beleza... :)

Bjus!

Múcio Góes disse...

Leminski emoldurando a dor, faz poesia, faz amor.

sacada!

[]´s

Lélia Maria disse...

engraçado... cor-de-rosa deveria ser a vida (pelo menos nesta tenra idade), não só o doce.

Belo casamento de palavras e imagem.

Mendoscopia disse...

E assim o fez!
Belíssimo!

Jú Pestana