quarta-feira, outubro 11, 2006

Os bons morrem jovens

Eu já falei tantas vezes sobre este assunto aqui que qualquer nova tentativa será redundante e desnecessária. Entretanto, e digo isso como fã, não posso deixar que registrar hoje, 11/10/2006, é a data que marca a ida do Renato Russo deste plano para outro que não sei onde fica ou se existe.

Mas fato é que, se existem outros planos, seguramente aquele onde ele se encontra hoje é mais feliz que o nosso, pois enquanto lembramos sua morte, aqueles do outro lado celebram seu nascimento.

E lá se vão 10 anos desde aquela infeliz sexta-feira, que seria uma sexta-feira qualquer se não fosse aquela sexta-feira, onde fui acordado por minha mãe com, até aquela data, a pior notícia que eu já havia recebido.

Hoje, 10 anos depois, ficam as lembranças, o gosto de saudade ainda muito amargo na boca, a frustração de nunca ter participado de um show da Legião Urbana e a certeza absoluta que o rock nacional jamais será o mesmo. Porque gênios nascem e morrem, mas cada um marca a história de uma maneira singular.

Renato Russo marcou a minha vida como nenhum outro artista. Isto porque na adolescência tudo é mais intenso, mais vivo. Marcou porque ninguém mais teve coragem de abrir meu mundo para o mundo todo da maneira como ele fez. Ninguém contou meus segredos para ninguém. Jamais fui revelado da maneira como ele me revelou. Nunca antes alguém tinha dito tudo o q'eu pensava, mas com minha incapacidade de relatar meus pensamentos e sentimentos, ele foi lá e escreveu tudinho, cada detalhe. E ainda por cima colocou melodias simples, singelas e perfeitas.

Eu teria todos os motivos do mundo para ficar bravo com ele, pois ele foi o único amigo desses que a gente confia tudo que revelou toda minha vida. Mas não dá para ficar bravo com alguém que te ajuda tanto a passar pelos temíveis anos dourados ileso e intacto. E ele fez isso com maestria.

A verdade é que s’eu pudesse falar uma coisa para ele, eu diria obrigado. Obrigado por me mostrar que a vida pode ser mais fácil, por dizer para mim as palavras que eu precisei ouvir quando terminei um namoro ou quando me indignei com meu país ou meus pais. Agradeço também por curar dores de cotovelo e por embalar novos romances. Obrigado.

E termino aqui, postando sua mais profética canção:

É tão estranho, os bons morrem jovens
Assim parece ser quando me lembro de você
Que acabou indo embora cedo demais

Quando eu lhe dizia: - me apaixono todo dia
E é sempre a pessoa errada
Você sorriu e disse: - eu gosto de você também
Só que você foi embora cedo demais
Eu continuo aqui com meu trabalho e meus amigos
E me lembro de você em dias assim
Um dia de chuva, um dia de sol
E o que sinto eu não sei dizer

- Vai com os anjos, vai em paz
Era assim todo dia de tarde, a descoberta da amizade
Até a próxima vez, é tão estranho
Os bons morrem antes
Me lembro de você e de tanta gente
Que se foi cedo demais

E cedo demais eu aprendi a ter tudo que sempre quis
Só não aprendi a perder
E eu, que tive um começo feliz
Do resto eu não sei dizer

Lembro das tardes que passamos juntos
Não é sempre, mas eu sei
Que você está bem agora
Só que este ano o verão acabou
Cedo demais.

Love in the afternoon – Renato Russo

3 comentários:

Marcelo disse...

Meu caro, a verdade é que Renato Russo foi, é e sempre será o maior poeta do rock brasileiro. Pode não ter sido o único maior, mas é para mim o mais representativo.

Caí aqui por acaso, adorei todos os textos e em especial este, bela e singelamente escrito, emocionante sem ser brega, leve e, apesar de falar de tristeza, fala de uma maneira delicada e gentil.

Como fã dele fico feliz de encontrar pessoas que escrevem tão bem sobre ele. Você disse o que eu gostaria de ter dito.

Obrigado a Renato Russo por tudo e a você por terminar minha noite com uma leitura tão boa.

Voltarei!!!

Ane disse...

as vezes as palavras são secas e ásperas demais pra retratar sentimentos.

Nesse caso, elas pareceram brotar da mente de cada um que teve uma adolescência urbana.

parabéns ao escritor, e pela maestria com a qual ordena a nossa vida.

Anônimo disse...

cara. rentao russo é horrível.